Anterior
Próximo
Esta semana em Miami Real Estate: Migração do Estado, conceitos de hotel e muito mais
Postado em: Fevereiro 8, 2019

Funcionários em estados como Nova York já estão soando o alarme sobre a receita fiscal perdida devido em parte à migração para a Flórida.

Em uma coletiva de imprensa em 5 de fevereiro, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, pela primeira vez divulgou a dor econômica em que seu estado se encontra, agora que enfrenta um êxodo de contribuintes da propriedade. Oficiais do orçamento de estado de Nova York disseram que no ano passado, a receita fiscal foi de cerca de US $ 2,3 bilhões abaixo das projeções e exigiria uma revisão significativa do orçamento. Outros estados como Nova Jersey e Connecticut também relataram recentemente grandes lacunas na cobrança de impostos para 2018.

Embora não haja muitos dados para provar essa teoria de forma definitiva, as deficiências de receita observadas nesses estados provavelmente são o resultado das recentes mudanças na legislação tributária federal que incentivam mais proprietários a mudarem-se para estados com menos carga tributária. A Flórida e Miami parecem ser os principais benfeitores dessa tendência. O Estado da Flórida teve o nível mais alto de migração interna líquida de qualquer estado entre julho de 2017 e julho de 2018, de acordo com dados do Census Bureau. No mesmo período, Nova York chegou ao topo da lista de perda de população. Em Nova York e grande parte do país, o valor das casas e as vendas cresceram apenas modestamente no ano passado. Enquanto isso, as vendas na Flórida e em Miami ficaram à frente da média nacional.

Em outras notícias sobre imóveis locais:

A Yotel, conhecida por seus “hotéis de luxo acessíveis” em Nova York, Cingapura, Boston e San Francisco, inaugurou um novo edifício residencial de uso misto no centro de Miami. O piso inferior do arranha-céu será composto por quartos de hotel e os andares superiores do edifício serão apartamentos. Referidos como "Pads" pelo Yotel, esses condomínios serão construídos com aplicativos como o Airbnb em mente, já que existem "restrições de aluguel zero" nos Pads, liberando os proprietários para alugar espaços para convidados temporários. O projeto começou em 31 de janeiro e deve ser concluído no início de 2021. O projeto está sendo supervisionado pelo Aria Development Group. Desde o lançamento do projeto, 50% das residências já foram vendidas. A equipe de vendas e marketing do projeto Yotelpad, OneWorld Properties, atingiu esse marco apenas 6 meses após o lançamento do prédio. O Yotelpad Miami incluirá três mordomos-robô Techi para distribuir alimentos, bebidas, documentos e presentes e também pode ser programado para falar vários idiomas e reproduzir músicas e outros arquivos de áudio. O prédio, quando terminado, terá 231 “pads” e 222 quartos de hotel. Preços para residências começam na faixa de US $ 300.000.

Nelson Gonzalez da EWM International Realty fechou uma venda de US $ 17 milhões que quebrou um recorde de preço de dois anos para uma venda de casas na North Bay Road em Miami Beach. A nova construção, 10.665 pés quadrados em casa na 6010 N. Bay Road foi vendida para o desenvolvedor de Nova York Peter Fine, de acordo com um comunicado de imprensa.

Lembre-se do prédio sobre palafitas? O desenvolvimento de Allapattah, que pode se tornar um marco arquitetônico no sul da Flórida, está um passo mais próximo de se realizar. O projeto, projetado por arquitetos do Bjarke Ingels Group e liderado pelo desenvolvedor Robert Wennett, recebeu a aprovação do Conselho de Planejamento, Zoneamento e Recursos de Miami em 6 de fevereiro. Atualmente, é o local de vários armazéns para a Miami Produce, mas os planos exigem um enorme complexo de quatro edifícios empilhados um sobre o outro, com um espaço de varejo combinado de 1,4 milhão de pés quadrados, jardins no telhado e unidades residenciais. Os planos também pedem o que seria o primeiro desenvolvimento co-vivo na área de Miami. A proposta ainda precisa obter a aprovação da Comissão da Cidade de Miami antes que a construção possa começar.

De volta à mídia